Prof. Dr. Hermílio Santos

PUCRS

Professor adjunto
(Dedicação Exclusiva)
do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da PUCRS.

Com formação no Brasil e na Alemanha, o professor doutor Hermílio Santos tem dedicado sua carreira à pesquisa de fenômenos e ambientes sociais bastante diversos, como favelas, plataformas de produção de óleo e gás, violência, infância, juventude, fronteiras, políticas públicas, gerações de mulheres negras e indígenas. Leciona nos programas de Graduação e Pós-graduação em Ciências Sociais e no PPG em Direito da PUCRS. Coordena o Centro de Análises Econômicas e Sociais (CAES), que desenvolve pesquisas, com fomento público e privado, envolvendo pesquisadores de diversas áreas do conhecimento.

Nos últimos anos, começou a traduzir os resultados de pesquisas para a linguagem cinematográfica. Os filmes documentários produzidos por Santos são voltados não só para o meio acadêmico, mas também para o público em geral. O primeiro deles, “Intimidade Vigiada”, foi realizado em 2010 e mostra a rotina de jovens que cumpriam medidas sócio-educativas. Em 2016, co-dirigiu o documentário “Infância Falada”, baseado em uma pesquisa sobre a violência contra crianças em favelas no Rio de Janeiro, São Paulo e Recife, em 2018 dirigiu “Mundo da Vida – A Sociologia de Alfred Schutz”, sobre aspectos da obra do sociólogo áutro-americano. Sua mais recente obra chama-se “Challenges of contemporary Brazil”, uma série de vídeos em seis episódios sobre os desafios do Brasil contemporâneo que foi apresentada ao público durante o IV ISA Forum of Sociology, em 2021. Atualmente, está produzindo outros dois documentários: “Espaços de Fronteira” (em edição) e “Narrativas Biográficas” (em realização) e uma série com duas temporadas e oito episódios: “Herdeiras” (Primeira Temporada: “Herdeiras Negras” e segunda temporada “Herdeiras Indígenas”), em pré-produção.

De 2012 a2018 foi membro do Conselho Executivo do International Alfred Schutz Circle. Santos ainda coordena o Comitê de Pesquisa “Biografia e Sociedade” da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS) e é presidente do Research Committee 38 “Biography and Society” da International Sociological Association (ISA). Presidiu o Comitê Organizador Local do IV Fórum de Sociologia da International Sociological Association, realizado em 2021.

Foi editor e é membro do conselho editorial da Revista CIVITAS. Por dois semestres, foi professor substituto (Lehrbeauftragter) de sociologia na Technische Universität Berlin. Ainda fez estágio de pós-doutorado no Centro de Métodos em Ciências Sociais da Universität Göttingen. E é membro do Comitê Permanente de Seleção do Acordo CAPES-Humboldt Stiftung.

  • Georg-August-Universität Göttingen

    Pós-Doutorado em Sociologia (2014)

  • Freie Universitat Berlin

    Doutorado em Ciência Política (1998)

  • PUCRS e UFRGS

    Mestrado em Filosofia (1994)

  • UFMG

    Graduação em Ciências Sociais (1991)

Trabalho offshore na indústria de óleo e gás, povos indígenas, narrativas biográficas, sociologia de Alfred Schutz, infância, juventude, mulheres e violência, redes de políticas públicas, vida cotidiana, favelas.

  • Xingu 2022: Esposição do Acervo Indígeno do Xingu de Karl von den Steinen (em andamento)
    Organização de três exposições do acervo coletado por Karl von den Steinen em duas expedições à região do Xingu (1884 e 1887) e que fazem parte do acervo do Museu Etnológico de Berlim.
    Equipe: Hermilio Santos (coordenador),
    Anna Ortiz Borges Coelho, Débora Rinaldi, João Pedro Martins Pinheiro, Juliana de Oliveira Trindade, Kamila Almeida, Karina Schuh Reif, Liliane Moura Inacio, Marciele Madruga Machado, Naida Menezes, Priscila Queirolo Susin, Raphaela Pereira Dellazeri, Stephane Aragão Sena, Thaís Recoba Campodonico e Yasmin Ribas.
  • Herdeiras – Narrativas Biográficas de três gerações de mulheres indígenas (em andamento)
    A pesquisa é o desdobramento de uma iniciativa que teve início na preparação de vídeos sobre a situação indígena no Brasil. O projeto envolve atividades de pesquisa e também a realização de um documentário com depoimentos de três gerações de mulheres da mesma família, de pelo menos seis etnias. O trabalho amplia o escopo de pesquisas já realizadas e em andamento, que se valem da abordagem de narrativas biográficas, a qual está sendo testada em diversos contextos empíricos. Pretende-se analisar a maneira como três gerações de mulheres indígenas de uma mesma família lidam com a herança do contato com a sociedade brasileira dominante não-indígena e como essa herança emerge na interpretação da vida cotidiana de três gerações. A primeira fase permitirá análises comparativas entre as diferentes gerações e entre diferentes famílias, cujos contatos com a sociedade não-indígena se deu em momentos históricos distintos. Serão entrevistadas individualmente mulheres de diversas famílias em que seja possível encontrar três gerações adultas, em que pelo menos a entrevistada com mais idade tenha origem na região de Pelotas, onde se localizavam as principais charqueadas, responsável por abastecer o centro do país. Paralelamente à realização de entrevistas narrativas biográficas, que serão analisadas de acordo com os procedimentos de análise propostos por Gabriele Rosenthal (2014 e 2017), serão realizadas também entrevistas biográficas com outras mulheres para a realização de um documentário sobre o tema da pesquisa.
    Equipe: Hermilio Santos (coordenador) e Yasmin Ribas (Bolsa BPA/PUCRS) e Anna Ortiz Borges Coelho.
    No link abaixo é possível ter acesso a diversos materiais audiovisuais (documentários, reportagens, entrevistas) e sobre o tema:
    https://padlet.com/biograficasnarrativas/aa0dsend1a9xh72
  • Herdeiras – Narrativas Biográficas de três gerações de mulheres negras (em andamento)
    A pesquisa tem como objetivo discutir a herança escravocrata a partir de uma perspectiva pouco usual, tanto em relação à abordagem teórico-metodológica, quanto na combinação de formatos para apresentação dos resultados da pesquisa. Pretende-se fornecer novos elementos para a compreensão do problema da herança escravocrata na sociedade contemporânea, a partir das interpretações oferecidas por três gerações de mulheres negras. Explora-se a interpretação das entrevistadas sobre o contexto social (análise do mundo da vida), a memória da escravidão presente nas famílias ao longo de diferentes gerações, bem como analisar as diferentes maneiras como o tema é percebido e as estratégias adotadas na vida cotidiana para lidar com essa herança. Ao mesmo tempo, espera-se evitar que a experiência da escravidão caia numa forma de esquecimento, expresso por exemplo pela modestíssima atenção dada ao tema por pesquisadores das ciências sociais, mas também por disciplinas afins, ou de tratar um problema histórico que envolveu coletividades (escravizados negros brasileiros ou oriundos do continente africano), como se não houvesse repercussão na vida de um grande contingente de pessoas na sociedade contemporânea.
    Coordenação: Hermílio Santos. Equipe: Marciele Madruga Machado (Bolsa FAPERGS).
    No link abaixo estão listados materiais audiovisuais (documentário, reportagen, entrevistas) relevantes sobre o tema:
    https://padlet.com/biograficasnarrativas/w8eu6rjmetxoelw6
  • Construção social de espaços de fronteira (em andamento)
    Análise da construção social de espaços de fronteira e suas atividades, assim como o processo de transformação dessas áreas. Três zonas de fronteira do Brasil (Argentina-Brasil-Uruguai; Brasil-Bolívia-Paraguai e Peru-Brasil-Bolívia) estão sendo estudadas. Todas elas constituem rotas de imigrantes, parte deles irregular. A pesquisa, que ocorre com auxílio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), permitirá o paralelo com as regiões de fronteira.
    Integrantes: Hermilio Santos (coordenador) e Gabriele Rosenthal e Raphaella Dellazeri (Boldsa Fapergs); Financiamento: CNPq e FAPERGS.
  • Integração de Fatores Humanos e Resiliência para o Fortalecimento da Cultura de Segurança na Indústria de Óleo e Gás (em andamento)
    O objetivo deste projeto é desenvolver métodos, modelos, ferramentas e tecnologias para orientação e suporte à implementação de um programa de fatores humanos que fomente a resiliência e a segurança na indústria de óleo e gás. Serão desenvolvidas algumas ações, tais como: aprofundar análises relacionadas a fatores sócio-técnicos vinculados à performance resiliente; integrar princípios de fatores humanos e da engenharia de resiliência a sistemas de gestão de segurança; desenvolver método de análise de eventos de segurança operacional com foco em fatores humanos e resiliência; delimitar conjunto de indicadores e um modelo para análise da maturidade de resiliência na gestão de segurança, considerando fatores humanos; identificar e analisar tecnologias da informação e comunicação (TIC) aplicáveis na coleta, tratamento e análise de dados para alimentação do modelo a partir dos indicadores propostos; e desenvolver diretrizes para treinamento, aprendizagem e capacitação com foco no desenvolvimento de habilidades não-técnicas; entre outros. A abordagem metodológica terá enfoque interdisciplinar (incluindo áreas das engenharias, ciências sociais, ciências sociais aplicadas e ciência da saúde) e, também, multi- métodos, combinando métodos quali-quantitativos a partir de uma perspectiva de triangulação.
    Integrantes da equipe de Sociologia: Hermilio Santos (coordenador da equipe), Priscila Susin, Karina Schuh Reif, Kamila Almeida, Naida Menezes, Celina de Pinho Barroso, Gabriele Rizzi Bachi e Lucas Oliveira. Financiamento: ANP/Petrobras.
    Vídeos produzidos:
    Vídeo institucional da pesquisa:
    https://vimeo.com/534166351/5399aac735Resiliência na Produção de óleo e gás:
    https://vimeo.com/534162524/020aff79bfErro em Fatores Humanos na produção de óleo e gás:
    https://vimeo.com/534161573/55e7378249

    Comportamento resiliente na na produção de óleo e gás:
    https://vimeo.com/534162524/020aff79bf

  • Pesquisa com Narrativas Biográficas: Cooperação com o Centro de Métodos em Ciências Sociais da Universidade de Göttingen – Alemanha (2020)
    O projeto de internacionalização do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul propõe um trabalho conjunto com o Centro de Métodos em Ciências Sociais da Universidade de Göttingen, na Alemanha, visando o fortalecimento do paradigma interpretativo nas Ciências Sociais brasileiras, bem como a difusão dos métodos de entrevista narrativa biográfica e de reconstrução de casos biográficos. O objetivo foi, ao final de 30 meses de cooperação, submeter um projeto conjunto de pesquisa. A cooperação científica tem como proponente o professor dr. Hermílio Santose e a drª. Gabriele Rosenthal, professora do Centro de Métodos em Ciências Sociais da Universidade de Göttingen, Alemanha. A pouca difusão, no Brasil, dos métodos biográficos na sociologia, bem como sobre o potencial de explicação dos fenômenos sociais a partir da abordagem biográfica são os principais motivos que nos movem a avançar no desenvolvimento do paradigma biográfico no país..
    Equipe: Hermilio Santos (coordenador) e Gabriele Rosenthal. Financiamento: FAPERGS.
  • Mulheres e Violência: Narrativas biográficas de autoras de ações violentas (2018)
    O objetivo foi aportar novos elementos para a compreensão de como e porquê mulheres se engajam em ação violenta, contribuindo assim para preencher parte da lacuna na literatura sociológica brasileira e internacional, que poucas vezes se debruça sobre o fenômeno da participação de mulheres como autoras de violência. A partir da abordagem reconstrutiva de narrativas biográficas (Gabriele Rosenthal) foram reconstruídas as estruturas e dinâmicas biográficas de mulheres que se envolveram diretamente como autoras em ações violentas.
    Equipe: Hermilio Santos (coordenador). Financiamento: CNPq.
  • Infância e violência: cotidiano de crianças em favelas e cortiços de São Paulo (2014)
    A pesquisa, com financiamento da Fundação Bernard van Leer, diagnosticou a situação da infância vivenciada em favelas e cortiços da cidade de São Paulo, com ênfase para as experiências de violência, valendo-se de diversos instrumentos de pesquisa, qualitativos e quantitativos.
    Equipe: Hermilio Santos (coordenador), Adelar Fochezatto, Celina de Pinho Barroso, Paulo Jacinto, Patricia Oliveira, Anna Veiga, Priscila Susin e Marcos Quadros. Financiamento: Fundação Bernard van Leer.
  • Adolescentes, delinquência e interpretações do mundo da vida: narrativas sobre vida cotidiana de adolescentes em Porto Alegre (2014)
    Com o objetivo de estudar o “mundo da vida” de adolescentes expostos direta e indiretamente à violência, esta pesquisa observou a biografia de autores de atos infracionais, de jovens que convivem em contextos sociais em que a delinquência constitui prática recorrente da vida cotidiana. A partir da sociologia fenomenológica de Alfred Schütz foi analisado: a) de que maneira os adolescentes narram e interpretam suas biograficas; b) os mecanismos subjetivos de construção de significado acerca do mundo da vida, com ênfase especial à experiência com a delinquência, e c) as formas de fundamentação subjetiva de vinculação ao seu mundo da vida. A pesquisa teve o apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.
    Equipe: Hermilio Santos (coordenador).
  • Infância e percepção de violência: o cotidiano de crianças pequenas em favelas do Rio de Janeiro e Recife (2013)
    O objetivo foi analisar o cotidiano de crianças pequenas (de 0 a 8 anos) em seis favelas do Rio de Janeiro e três de Recife, com ênfase à experiência de violência doméstica e na comunidade, com o uso de métodos quantitativos e qualitativos, em especial a narrativa biográfica. A pesquisa interdisciplinar ocorreu com o auxílio financeiro da Fundação Bernard van Leer.
    Equipe: Hermilio Santos (coordenador), Adelar Fochezatto, José Luiz Ratton, Celina de Pinho Barroso, Paulo Jacinto, Patricia Oliveira, Priscila Susin e Marcos Quadros.
  • Demandas judiciais e morosidade da Justiça Civil (2010)
    A pesquisa financiada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) analisou, com base em uma combinação multidisciplinar de metodologias, as causas da morosidade da Justiça Cível brasileira, assim como possíveis soluções, com vistas a alcançar a celeridade e reduzir os custos de transação. Ao longo do estudo, a análise econômica do Direito (essencialmente de natureza quantitativa) foi utilizada, assim como a análise de processos de trabalho e, de maneira complementar, a análise sociológica de stakeholders.
    Equipe: Hermilio Pereira dos Santos Filho (coordenador), Luciano Benetti Timm, Adelar Fochezatto e Edimara Mezzomo Luciano.
  • Interação social e cidadania: análise do processo de recomposição de identidades ameaçadas (2010)
    O projeto abordou os desafios e fronteiras contemporâneas ao exercício da cidadania, com base na análise de observações empíricas de indivíduos, cuja capacidade de interação social encontrava-se potencialmente deteriorada. Foram desenvolvidas atividades com o uso de novas mídias por internos da FASE (ex-FEBEM) e por jovens em comunidades da periferia de Porto Alegre. O Instituto Nestor de Paula e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico auxiliaram financeiramente o processo de pesquisa.
    Equipe: Hermilio Santos (coordenador).