Serenidade e superação da metafísica no Heidegger tardio

Sabrina Ruggeri

Instead of following the strategy of trying to grasp “being” through the energy of the human will, Heidegger attributes the dynamics of absolute knowledge – somehow counter-intuitively – to “being” and to its potential of “unconcealing itself”. As Ruggeri convincingly shows, convincingly both for our reading of Heidegger and for our independent philosophical reflections, the event of an unconcealment of being will depend on serenity [Gelassenheit] for Heidegger, that is on the human readiness to let such a process happen. Technology, rather than being remote from truth, emerges as very sight of such event of truth. That I profoundly agree with such a reading – both on a hermeneutic and on a systematic level – is of minor importance compared to the power, the originality, and the promise of Sabrina Ruggeri’s thinking.

HANS ULRICH GUMBRECHT. Albert Guérard Professor in Literature, Emeritus, Stanford University.

138p.
ISBN – 978-65-87424-20-0

Lógica do Ser de Hegel: Prefácios, Introdução e Início

Agemir Bavaresco, Jair Tauchen, João Jung  (organizadores)

O livro apresenta o evento Leituras da lógica de Hegel IV – 2020: Homenagem aos 250 anos de nascimento de Georg Wilhelm Friedrich Hegel: Stuttgart 1770 – 2020. O objetivo foi ler o texto da Lógica de Hegel através do método hermenêutico, compreendendo o contexto, o texto e sua atualização, para uma interpretação criativa e a formação de uma comunidade filosófica plural. Nesta edição, os Grupos de Estudo dedicaram-se a ler e comentar os Prefácios, a Introdução e a parte Com o que precisa ser feito o início da ciência, da Doutrina do Ser de Hegel. Como resultado, dezenove capítulos foram elaborados e compõem este livro. Agradecemos a todas e a todos que participaram do evento e que disponibilizaram seus textos para compor este livro. Desejamos uma boa leitura!​

300p.
ISBN – 978-65-87424-31-6

Estados do Pensamento: o conceito de pessimismo a partir da natureza do pensamento único de Arthur Schopenhauer

Leonardo Ritter Schaefer

Dedicado à verdade, o pensamento único declara a ausência de liberdade, a existência humana determinada ao sofrimento e o julgamento moral essencialmente relativo, ao mesmo tempo, julga o otimismo falso e pernicioso enquanto afirma que todos são devedores de tolerância, paciência, consideração e amor ao próximo. Da premissa de que a obra se origina da comunhão entre os estudos da medicina e, posteriormente, filosofia, de Arthur Schopenhauer, a presente tese entrelaça e justapõe as quatro perspectivas que parecem fragmentar o pensamento para preservar a coesão orgânica, perpassando prefácios, ensaios, complementos e aforismos, determina uma base fundamental derivada de metafísica e fisiologia obtendo dois estados, um apto e um inapto ao cuidado, não volitivo e volitivo.
Por meio deles, a aparente contradição estabelecida na relação entre obra, verdade e crítica ao otimismo se dissolve, primeiro, na busca do autor pela comunicação da ocasião de um estado, segundo, na produção de duas concepções próprias, otimismo enquanto disposição orgânica e pessimismo enquanto autoconhecimento da disposição. Um passo além das teorias morais e limitações filosóficas é encontrado nos Aforismos para responder à imputação moral. No conhecimento das próprias determinações fundamentais, proporcionado pelo pessimismo, os organismos humanos tornam-se incumbidos de si mesmos conduzindo-se por percursos que ocasionem o estado não volitivo. Assim, na relação do autor com sua obra, a escrita assume-se ato ético, e responsabilidade e determinação conciliam-se.

184p.
ISBN – 978-65-87424-23-1

Sub specie aeternitatis: Festschrift for Nythamar de Oliveira

Draiton Gonzaga de Souza, Agemir Bavaresco, Jair Tauchen (Organizadores)

O termo sub especie aeternitatis (latim, “sob o aspecto da eternidade”) foi consagrado por Spinoza para designar a necessidade do que é eterno (aeternitas), em contraste com a contingência de coisas e eventos temporais que têm duração (duratio). Na medida em que são modos da substância, os modos podem ser concebidos sub specie aeternitatis, visto que participam de alguma maneira da eternidade da substância. Destarte, a Favela de Lasar Segall (1954) desvela essa interseção entre a horizontalidade temporal da imanência e a verticalidade de nossa transcendência em busca de sentido.

744p.
ISBN – 978-65-87424-16-3

Habermas 90 anos: ensaios

Claiton Silva da Costa, Lara A. Sosa Márquez, Patricia Radmann Zucco, Ricardo Luis Reiter (organizadores)

Nos dias 20, 21 e 22 de novembro de 2019, ocorreu, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em Porto Alegre, o encontro “Jornada Habermas 90 anos”. Realizado por meio de uma parceria entre os Programas de Pós-graduação de Ciências Sociais e Filosofia, componentes da Escola de Humanidades, o encontro teve como motivação a celebração do marco de noventa anos da produção intelectual e atividade de Jürgen Habermas. Gostaríamos de agradecer ambos os Programas, bem como o Centro de Estudos Europeus e Alemães (CDEA-PUCRS), pelo apoio institucional e administrativo, sem estas colaborações não teria sido possível desenvolver um evento de tanta qualidade. Idealizado desde o seu planejamento inicial como um evento interdisciplinar, o encontro reuniu pesquisadores de diversas áreas, não se restringindo apenas às oriundas do evento, de diversas regiões, incluindo a participação internacional do professor Uwe Steinhoff, da Universidade de Hong Kong, autor de uma importante introdução crítica à obra habermasiana (The Philosophy of Jürgen Habermas: A Critical Introduction).

354p.
ISBN – 978-65-87424-19-4

  • 1
  • 2