Partidos Políticos: Um enfoque transdisciplinar

Julian Krüper, Heike Merten, Thomas Poguntke (Orgs.)

Os partidos políticos vêm sendo crescentemente responsabilizados, constituindo-se em alvos centrais da crise de representação que se aprofunda no século XXI. Os limites, os impasses e o sentimento de frustração com relação às organizações partidárias têm se manifestado tanto nas longevas democracias europeias e norte-americana, como nas novas democracias constituídas.

A emergência dos partidos políticos é um fenômeno relativamente recente, associado à vida pública moderna e ao processo de integração de diferentes grupos e classes sociais no sistema político das democracias representativas. A experiência acumulada, desde a formação dos primeiros partidos modernos europeus no final do século XIX, mostra uma profunda capacidade de adaptação e sobrevivência das organizações partidárias diante da velocidade das mudanças, após a segunda guerra mundial.

Os partidos tradicionais passaram a ocupar novas funções e demonstraram resiliência para responder às novas demandas de sociedades cada vez mais complexas, diversificadas e individualizadas. Também emergiram novos partidos, com agendas típicas de cidadãos atentos aos desafios pós-materialistas, exigindo plataformas que incluem desde questões de sustentabilidade e mudanças climáticas até a incorporação de temas comportamentais, novas sociabilidades e novas tecnologias.

“Partidos Políticos: Um Enfoque Transdisciplinar” é um compêndio organizado por renomados pesquisadores alemães: o Prof. Dr. Thomas Poguntke, atual diretor do Instituto de Pesquisas de Partidos e Direito Partidário Alemão e Internacional (PRuF), a Dra. Heike Merten (PRuf) e o Prof. Dr. Julian Krüper (Universität Bochum). Publicado em 2015 pela editora alemã Nomos Verlag, o livro nasce em comemoração ao jubileu de aniversário de 65 anos do professor Dr. Martin Morlok, então diretor do PRuF da Universidade Heinrich Heine/ Düsseldorf.

A tradução desta obra para a língua portuguesa é fruto do comprometimento da Fundação Konrad Adenauer com a disseminação, no Brasil, de conteúdos fundamentais à prática democrática, tais como o diálogo político e o fortalecimento e a cooperação com partidos, visando ao fortalecimento das democracias representativas.

Em um momento de relativa exaustão dos principais partidos brasileiros, que atuaram na transição política para o regime civil-democrático e conduziram os rumos da nova democracia, é um prazer ofertar esta obra aos leitores brasileiros. Diante de um contexto de escassez de publicações sobre estudos partidários vertidos para a língua portuguesa, a Fundação Konrad Adenauer no Brasil agradece o apoio dos parceiros locais neste projeto: o Centro de Estudos Europeus e Alemães (CDEA), do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política e o Núcleo de Estudos sobre Partidos e Democracia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).