Quem sou eu para julgar?: Diálogos com Hannah Arendt. V. 2

Nuno Pereira Castanheira, Jair Tauchen, Agemir Bavaresco, Nythamar de Oliveira, Isis Hochmann de Freitas, Evandro Pontel (Organizadores)

O presente livro consiste numa coletânea de textos vinculados, em sentido lato, à obra de Hannah Arendt, às questões que ela ainda hoje nos coloca, particularmente em face das atuais condições sociais, políticas, ética e ecológicas. Este segundo volume resulta de textos apresentados no decurso da segunda edição do evento “Quem sou eu para julgar? Diálogos com Hannah Arendt”, que decorreu ao longo de 2021, de modo on-line. “Quem sou eu para julgar?” é uma expressão que usamos de forma quase automática sempre que nos deparamos com situações que testam os limites dos nossos padrões normativos. Tal expressão manifesta o nosso estado de perplexidade, acompanhado de um certo sentimento de impotência em face de forças sociais e políticas avassaladoras. Mas ela também parece ocultar uma posição filosófica, política e ética mais profunda e desafiadora, a saber, uma certa incapacidade de julgar a situação “como se” fôssemos nela atores. Para Hannah Arendt, essa atitude pode conduzir a uma desresponsabilização dos atores e a uma situação em que todos—participantes e não-participantes— são considerados igualmente culpados. Num contexto de ressurgimento de movimentos proto totalitários, de agravamento da crise ecológica e do niilismo consumista, de aprofundamento da injustiça e da desigualdade social, de pandemia, etc –, que elementos do pensamento arendtiano nos permitem reconsiderar o problema ético, político e filosófico tornado patente sempre que dizemos “Quem sou eu para julgar? Este é o objetivo desta publicação, reunindo textos de pesquisadores de todo o Brasil e provenientes das mais variadas áreas do saber, a quem agradecemos os seus contributos. Gostaríamos ainda de agradecer à Escola de Humanidades da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e ao seu Programa de Pós Graduação em Filosofia, ao CDEA – Centros de Estudos Europeus e Alemães, e à CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, sem cujo apoio esta publicação e o projeto a que está vinculada não seriam possíveis.

210p.

ISBN – 978-65-81110-75-8 

DOI: https://doi.org/10.36592/9786581110765